segunda-feira, 30 de maio de 2011

Longe*

Hoje a distância dói, sufoca, aperta, magoa…

Hoje é difícil perceber o porquê de ontem não ter aproveitado cada segundo, cada minuto, cada instante, cada movimento…

Hoje afogo-me num mar de emoções que teimam em invadir a minha mente lembrando-me do quão bom era estar ali…

Hoje o tempo parece escasso, se bem que por outro lado os segundos parecem minutos, os minutos assemelham-se a horas e as horas a dias… no fundo o que pretendo referir é que aqui, longe, tudo se transforma em tempo que dura e dura, como se não houvesse amanhã, enquanto aí os dias passam à velocidade da luz, como se nem os sentisse…

Hoje revolta-me este peso, esta distância, estes minutos entediantes e amargosos, este medo de perder, de não estar no local certo, no momento certo…

Hoje invade-me um sentimento nítido de que aqui não sou feliz, embora faça o que gosto, não estou onde quero, afinal o que me prende aqui? Um aglomerado de folhas? Papeis soltos? Uma prática de acções e movimentos que ninguém valoriza?

Hoje sinto a tua falta, a vossa falta…

Hoje preciso mostrar que sou humana, que também sofro, também choro, também sinto, e sinto muito...

Hoje queria uma palavra amiga, um gesto de carinho… Sim, hoje eu também preciso, embora pareça sempre bem-disposta e feliz eu também necessito de afecto, de carinho, de atenção, de um gesto, de uma surpresa… porque tenho que ser sempre eu a ‘surpreender’?

Hoje preciso de um beijo, de um beijo apenas, daqueles que te fazem acreditar que és mesmo especial, de que aquela pessoa estará ali para ti, sempre!

Hoje preciso de um abraço, de um mimo, mas quem tenho aqui para mo dar? Tento evitar pensar que preciso do que preciso… sem querer ser redundante, hoje eu precisava mesmo era de companhia, de uma boa conversa, de um bom vinho.

Hoje eu só não queria ter que pensar no dia de amanhã, no que me espera, o que preciso saber ou não, o que ainda me falta ver ou rever…

Hoje eu queria ser/estar livre de preocupações…

Hoje eu preciso sair, ver gente nova, conhecer novos locais, passear sem ter que olhar para o relógio e pensar que preciso chegar a esta ou aquela hora a casa, divertir-me…

Hoje eu preciso de uma boa música, de um bom livro, de um longo momento de lazer, de prazer, de descanso…

Hoje eu apenas preciso de amor…

Hoje… não terei nada do que referi, infelizmente aqui não, estou LONGE!

6 comentários:

  1. farei, certas pessoas magoam por não saberem o que custa sofrer :/

    ResponderEliminar
  2. Tudo que é bom vem por um caminho atribulado, e quando o "tudo que é bom" vai, apanha boleia do vento .... è bom sentir a falta de alguém, é sinal que essa pessoa está bem marcada na nossa vida , mas por outro lado é a saudade que mais nos destrói ... como tudo na vida, por vezes engamo-nos na "porta" onde vamos bater e em vez de encontrar o que realmente ncessitamos apenas encontramos um lugar temporário para ficar ...

    Está lindo, maravilhoso :) adorei, como adoro tudo o que escreves :)

    ResponderEliminar
  3. Muito Obrigado, fico muito feliz por apreciares as minhas palavras, e adorei essa apreciação... ;)

    ResponderEliminar

Visualizaram

Leitores